Abscesso conheça causas e tratamentos

Abscesso: o que é, tipos, causas, sintomas e tratamentos

Esse problema incômodo e até bastante comum pode nos ocorrer em diversos momentos da vida, e por causas diferentes a cada vez.

Os abscessos podem ser dolorosos, grandes ou pequenos, internos ou externos e por muitas vezes causam problemas durante o tempo que ficam em nosso corpo.

Além de atrapalharem a aparência, caso surjam em locais da pele que são mais visíveis, podem também causar dor ou incômodo ao usar certas roupas, se forem em locais mais escondidos.

Mais do que isso, se não receberem tratamento adequado, esses abscessos podem provocar complicações e contaminar com infecção outras partes do corpo.

Por ser um problema comum, e que geralmente se resolve com relativa facilidade, não é necessário se alarmar.

No entanto, conhecer bem sobre o assunto e evitar fazer escolhas erradas do tratamento desse problema, podem trazer benefícios e prevenir agravamento da situação.

Vamos conhecer mais sobre o abscesso, por que ele surge, quais as causas, conhecer as melhores formas de tratamento e várias outras informações que podem te ajudar a resolver esse problema.

O que é abscesso?

O abscesso nada mais é do que uma formação de pus por debaixo da pele – em sua forma mais comum – que pode aparecer em várias partes do corpo e que contém diversos elementos.

Nele podemos encontrar tecidos mortos, o pus, sangue, bactérias e outros tipos de detritos ou substâncias.

Além disso, ele pode ser também classificado como interno ou externo. No caso dos abscessos externos, que costumam ser mais comuns, podemos identifica-los de cara.

Abscesso conheça causas e tratamentos

Eles geralmente são protuberantes e podemos visualizar de longe, dado o tamanho do inchaço, além da vermelhidão ao redor da área.

Podem ser também internos, de forma que surgem dentro da própria pele, sem o surgimento da ponta bem amarelada ou mesmo em órgãos internos como o cérebro ou pulmões.

O abscesso pode surgir em qualquer local, porém, alguns são mais propícios a aparição deles.

Podemos citar por exemplo as axilas e virilha como locais onde o abscesso costuma aparecer com mais frequência.

Além disso, também costumam ser vistos quando há alguma inflamação dentária. Um abscesso pode aparecer ao redor de um dente doente ou inflamado, inclusive aumentando a dor e o incômodo no local.

Para resumir o que é um abscesso num conceito simples, podemos dizer que é uma concentração de pus, causada por diversos fatores, que forma uma elevação na pele com inflamação e vermelhidão, ou ocorre de forma interna em nosso corpo.

Qual a causa do abscesso?

O abscesso pode ter diversas causas, mas geralmente, bactérias e micro-organismos são os responsáveis, além de também poder ter como causa alguns tipos de produtos.

O corpo, ao ser infectado por esse tipo de organismo, acaba por começar uma batalha interna contra os seus invasores. Nessa batalha, existe então a formação do pus, que acaba por se armazenar na região afetada, trazendo o problema à tona.

Entupimentos nos poros da pele também pode causar alguns tipos de abscesso.

Além desses fatores, também temos, inflamações em glândulas de suor, inflamações em órgãos ou inflamações dentárias, entre outros.

No geral, as bactérias e fungos são as causas mais comuns da formação do abscesso em nosso corpo.

Tipos de abscesso

Vamos tratar de alguns exemplos e tipos de abscesso que costumam acometer as pessoas com relativa frequência.

Lembrando que situações diferentes podem causa-los, além de poderem ter forma mais ou menos agressiva.

A depender do local e do tamanho e gravidade do abscesso, seu tratamento pode ocorrer de forma diferente, e veremos essas informações com detalhes em outra seção.

Diferenciar por hora, os tipos distintos de abscesso podem ajudar a identificar seu problema e procurar um tratamento mais satisfatório.

Abscesso na axila

Um abscesso na axila não é preocupante na maior parte dos casos.

É interessante notar que, geralmente, simples alterações na pele ou inflamações por micro-organismos podem ser as responsáveis.

Pode ocorrer por má higienização da área, ou por falta de cuidados na hora de depilar-se.

Além disso, pode também ter como causa pelos encravados, foliculite, ou até mesmo tratar-se de um furúnculo.

Os cistos sebáceos, que são acúmulos de sebo sob a pele, também costumam aparecer nessa região, assim como em qualquer parte do corpo e são normais, apesar de um tanto quanto incômodos.

Alguns desses casos costumam não ser dolorosos, exceto quando muito inflamados. Já outros, podem causar bastante dor.

O furúnculo, por exemplo, trata-se de uma inflamação mais profunda que acaba por produzir muito pus e causa bastante dor.

Além desse tipo de problema mais ligado à pele em si, podem aparecer ínguas, que são caroços que se formam pelo aumento de tamanho do gânglio linfático.

As ínguas podem surgir como forma de defesa do nosso organismo para com alguma inflamação.

No geral, não significam muito – porém podem ser muito incômodas e dolorosas – e somem em alguns dias após resolver a inflamação.

É comum que surjam ínguas no pescoço ou até nas axilas no caso de uma inflamação dentária, por exemplo.

No entanto, caso as ínguas não desapareçam por completo em algumas semanas, não parem de crescer ou mesmo comecem a surgir em outras partes do corpo, é necessário fazer mais exames.

Isso porque podem ser sintomas de doenças autoimunes, como o lúpus, ou até mesmo, câncer.

Abscesso dental

As caries nos dentes são a principal causa dos abscessos, que acabam por propiciar a inflamação e infecção da área. Mas também ocorrem por algum tipo de ferimento na boca, dente quebrado e não tratado, entre outros.

Ao redor do dente ou da área inflamada surge o abscesso, acumulando pus na região e provocando inchaço, dores, vermelhidão e muito incômodo na região afetada.

É comum quando se está passando por um problema de dor de dente causado por cáries.

Ele também pode desaparecer com o uso do medicamento adequado e tratamento do dente e gengiva.

Abscesso conheça causas e tratamentos

Em algumas situações específicas, pode ser preciso fazer uma drenagem do abscesso, para que haja a retirada dos detritos.

Dessa forma, acaba-se com a infecção e o paciente sente-se mais confortável.

No geral, se tratados de forma adequada e sem tanta demora, podem evitar problemas maiores, como a possibilidade da perda do dente afetado.

Abscesso na pele em geral

Geralmente. a foliculite é a responsável por causar os abscessos que ocorrem na pele, e que podem aparecer em qualquer local do corpo, inclusive no rosto.

Assim como a foliculite também pode ocasionar os abscessos na região da axila, como já mencionamos, pode ser responsável por provocar esse fenômeno desagradável em outras partes do corpo.

Bem, a foliculite nada mais é do que um abscesso no folículo piloso. Geralmente, os estreptococos causam a infecção, e entram na pele por alguma micro abertura ou mesmo por cortes em locais da pele.

Há o agravamento do problema, caso a pessoa não tenha bons hábitos de higiene, conviva com muitos animais dentro do ambiente de casa, ou viva com pessoas que tenham problemas de pele muito frequentes.

A foliculite aparece geralmente em grupos – com vários folículos inflamados – e por vezes em forma de um abscesso maior, com pus.

Podem causar dor ou não, e muitas vezes, a pessoa nem se dá conta de que tem esse tipo de problema.

Abscesso pulmonar

Esse é um dos tipos de abscesso interno.

O abscesso pulmonar pode ter como sintomas suor noturno, febre, tosse, catarro e hálito com cheiro desagradável, entre outros.

Para ser diagnosticado, devem ser feitos exames radiológicos na região torácica.

Infecção bacteriana é uma das causas desse tipo de abscesso, e pode ser desencadeado por pneumonia também.

Outras causas que podem propiciar o abscesso pulmonar:

  • Câncer
  • Pneumonia
  • Infarto pulmonar
  • Aspiração de materiais que podem conter micro-organismos que acabam por infectar o pulmão.

 Abscesso anal

O abscesso anal é do tipo externo e localiza-se na região perianal ou em volta no anus.

Costuma ser bastante doloroso, por vezes necessitando de intervenção médica para ser retirado.

Mais um caso que, em sua maioria, tem a infecção por bactérias como responsável, o abscesso anal pode desaparecer com medicamentos e a drenagem da lesão.

Pessoas que passaram por cirurgias na região retal tem mais chances de desenvolver esse tipo de problema, bem como aqueles que sofrem de alguma doença inflamatória intestinal.

Esse tipo de abscesso pode ser bastante doloroso e causar muito desconforto ao sentar. Em alguns casos, pode haver a ocorrência de febre ou outros sintomas, bem como o risco de uma infecção generalizada.

É importante procurar o médico e fazer os exames necessários para que se proceda a retirada do abscesso anal o quanto antes, afim de evitar outros tipos de infecção.

Abscesso cerebral

Esse tipo de abscesso é bem raro, porém pode sim acontecer e causar sérios riscos à saúde.

O abscesso cerebral pode ser ocasionado por alguma infecção bacteriana no cérebro, que pode chegar até ele por meio da corrente sanguínea ou por ferida.

Alguns sintomas do abscesso cerebral:

  • Dores de cabeça intensas
  • Enjoos
  • Vômitos
  • Convulsões, em alguns casos
  • Sono exagerado

 Uma avaliação médica é extremamente necessária para ver o quadro em que se encontra o paciente e proceder à retirada do abscesso.

Os antibióticos podem contribuir para tratar a inflamação, a drenagem ou mesmo a retirada cirúrgica do abscesso que aparece na área.

A não retirada do edema e seu posterior rompimento pode ocasionar uma infecção mais geral na área do cérebro e até mesmo provocar uma meningite aguda.

Em que pessoas o abscesso pode ser mais comum?

No geral, qualquer pessoa está suscetível a desenvolver abscessos, até porque, eles podem ter causas bem diferentes.

Os abscessos da pele, por exemplo, são comuns e você provavelmente tem ou terá algum em algum momento da vida.

Além disso, no geral não tem causas graves ou alarmantes.

No caso dos abscessos na pele, compressas quentes ou mesmo algum remédio receitado pelo médico podem resolver o problema.

Mas é importante saber alguns fatos.

No geral, pessoas que tem imunidade mais baixa, sofrem de doenças autoimunes, tem câncer, inflamações constantes e até que abusam de drogas e álcool podem sim apresentar uma maior incidência de casos de abscesso.

A obesidade, falta de alimentação adequada, diabetes e outros, também podem aumentar consideravelmente a chance de incidência dos abscessos.

E por fim, a falta de higiene adequada, depilação feita com materiais inadequados ou compartilhados por outras pessoas, podem ser portas de entrada desse tipo de problema.

Como aliviar a dor do abscesso?

Alguns abscessos podem ser indolores, mas isso nem sempre acontece. Caso você esteja passando por essa situação incomoda, saiba que existem sim formas de amenizar um pouco o desconforto.

Primeiro de tudo, tenha em mente que não deve se auto medicar e nem mesmo colocar pomadas ou substancias em cima da área afetada, já que uma avaliação médica sempre é o que deve ser feito antes de aplicar qualquer substancia química.

Mas no geral, tomar algum analgésico de uso comum pode trazer alívio momentâneo para a dor do abscesso.

Além disso, as compressas com água morna a quente algumas vezes ao dia, podem ajudam a desfazer a inflamação com mais rapidez, trazendo um alívio mais rápido, bem como o fim da inflamação.

Abscesso conheça causas e tratamentos

Aplicar a seiva de babosa no local afetado pelo abscesso pode ser uma solução interessante para ajudar na rápida cicatrização. Aplique com a pele limpa, diretamente, algumas vezes ao dia.

O abscesso geralmente cede em alguns poucos dias e o desconforto é gradualmente terminado.

Caso a dor não diminua ou o abscesso continue aumentando ou não ceda em alguns dias, procure um dermatologista para uma avaliação mais precisa do seu quadro.

Quais os sintomas do abscesso?

O abscesso é relativamente fácil de ser identificado em nosso corpo, desde a hora em que aparece e mesmo ainda estando pequeno.

Pode ou não apresentar dor ou desconforto, a depender de como está a inflamação.

Às vezes, nos primeiros dias, acaba incomodando um pouco e essa sensação ruim pode ir piorando no decorrer do tempo.

Além disso, apresentar coloração avermelhada na pele, ao redor de onde está armazenado o pus, além de, em alguns casos, apresentar a ponta mais amarelada ou esbranquiçada, de forma que mostra a pressão feita na pele pelas secreções e detritos.

É muito fácil ver o abscesso, pois ele se mostra como uma protuberância no corpo, seja em qual for a parte que se encontra – desde que externo.

Então, acaba sendo diagnosticado facilmente, e pela própria pessoa.

Em situações normais, o abscesso cede em alguns dias, pode inclusive acabar “estourando” sozinho, ou, em alguns casos, pode ser necessário uma intervenção médica para sua retirada.

Em situações mais graves, a inflamação pode ser estendida a órgãos ou tecidos próximos, causando sintomas mais graves, como febres ou o surgimento de infecções ou inflamações em outras regiões do corpo.

Qual bactéria causa abscesso?

O abscesso, como já citamos anteriormente, pode ser causado por diversos fatores, entre eles falta de higiene, uso de produtos inadequados ou exposição à produtos químicos, entupimento de glândulas sebáceas, entre outros.

Mas no geral, o abscesso é causado por bactérias, que acabam por adentrar os folículos e causam assim, uma infecção. O corpo, claro, luta para conter a infecção por bactérias e então ocorre a formação do pus e, ao mesmo tempo, do abscesso.

Alguns tipos de micro-organismos e bactérias podem instalar-se no corpo e causar esse tipo de problema, porém, geralmente, a bactéria mais comum a provocar essas infecções é a estreptococos.

Conhecendo mais sobre o estreptococo

As bactérias do tipo estreptococos são esféricas e variam em tipos diferentes. Alguns são inofensivos e vivem até mesmo em nosso corpo. O tipo aureus é perigoso e costuma causar problemas de saúde, como por exemplo, o abscesso.

Esse tipo de estreptococo geralmente causa infecções na pele, mas pode também causar até mesmo casos de pneumonia.

É importante saber que, apesar de ser mais conhecida por causar apenas infecções cutâneas, ela tem maior facilidade para viajar na corrente sanguínea do portador e atingir órgãos e tecidos, causado outros tipos de infecções.

Abscesso conheça causas e tratamentos

Inclusive, além da pneumonia, pode trazer problemas como alterações cardíacas ou doenças nos ossos, além de sintomas básicos e comuns de inflamação.

A bactéria estreptococo aureus geralmente encontra-se no nariz, e pode ser transmitida para outras partes do corpo, geralmente pela pele, por isso, é muito importante lavar bem as mãos e usar produtos como álcool em gel para ajudar na higiene.

Você pode também ser contaminado pela bactéria ao usar objetos que uma pessoa contaminada utilizou, como por exemplo, telefones, canetas, objetos de uso comum, etc.

Para evitar ou diminuir as chances de ser contaminado por essa bactéria, procure ter bons hábitos de higiene, além de higienizar suas mãos após usar objetos alheios.

Tenha também cuidado ao sair de transportes públicos ou carros ou vans coletivas.

Alguns fatores de risco podem aumentar as chances de que você seja infectado pela bactéria estreptococo:

  • Diabetes
  • Leucemia
  • Feridas cutâneas
  • Pacientes que tenham passado por cirurgias
  • Pacientes que passam por hemodiálise
  • Pessoas que sofrem de câncer e fazem quimioterapia ou radioterapia
  • Órgãos transplantados, dispositivos como por exemplo válvulas cardíacas ou cateteres.
  • Quem faz uso de medicamentos que atrapalham o funcionamento do sistema imunológico.

Como procurar ajuda para o problema?

Na maioria dos casos, o abscesso cede sozinho depois de alguns dias. Portanto, o auxílio médico nem sempre é necessário.

No geral, a aplicação de compressas quentes faz com que a infecção ceda e acabe por causar com que ele mesmo estoure após um tempo, drenando-se sozinho.

Porém, nos casos dos abscessos maiores, isso pode não acontecer, além ser muito mais complicado fazer a retirada.

Em casos mais complexos em abscessos maiores, pode haver a intervenção com medicação e, em alguns casos, se faz necessária uma pequena cirurgia.

O médico pode realizar a drenagem do abscesso, que a depender de seu tamanho, pode vir a deixar uma cavidade no corpo da pessoa.

Em qualquer caso que seja necessário retirar o abscesso dessa forma, sempre faça-o com auxílio médico e nunca em casa, visto que pode causar maiores problemas.

Posso espremer um abscesso em casa?

Para responder logo de cara essa dúvida, a resposta é não. Você não deve, em hipótese alguma, espremer sozinho um abscesso em casa.

Conforme falamos no tópico anterior, caso for preciso fazer uma intervenção e vir a drenar os líquidos e detritos de dentro do abscesso, um médico deve sempre realizar esse procedimento.

Você deve se atentar ao fato que, mesmo que o abscesso seja pequeno, estourá-lo à força para “acelerar o processo” pode deixar a ferida aberta e causar outros tipos de infecções e problemas.

Abscesso conheça causas e tratamentos

Essa infecção causada por espremer o abscesso pode desencadear inflamações maiores ou até outros tipos de contaminação.

Portanto, faça apenas compressas quentes, de duas a três vezes ao dia e aguarde. Ele irá ceder normalmente.

Nos casos de abscessos maiores ou com muita persistência, consulte o médico e faça os procedimentos recomendados por ele.

Existem remédios caseiros para curar um abscesso?

Primeiramente é preciso relembrar que fazer qualquer tipo de automedicação pode ser extremamente perigosa para qualquer pessoa em qualquer circunstância.

Logo, somente utilize remédios ou antibióticos que sejam receitados para o seu médico, e para esse fim.

Mas além das medicações receitadas, ou caso seu caso seja mais simples e trate-se de um abscesso pequeno, você pode experimentar alguns remédios caseiros e naturais para ajudar a curar um abscesso mais rápido.

O primeiro método seria o da compressa quente. Aplicar compressas no local com frequência de pelo menos duas vezes ao dia pode ajudar muito a ceder a inflamação.

Você também pode utilizar esse método nos casos de abscesso dental, fazendo bochechos de água morna.

Para os abscessos cutâneos, você também pode fazer uso da seiva de babosa, que tem poder cicatrizante e pode acelerar o processo de cura.

Além da babosa, fazer compressas com ervas ou cataplasmas podem ajudar bastante.

A jurubeba e o alho, por exemplo, tem poder cicatrizante e também anti-inflamatório, o que pode também auxiliar na cicatrização.

Concluindo

O abscesso é um problema que, apesar de ter uma ocorrência comum, costuma ser bastante incômodo e pode provocar dores e irritação local.

Além disso, caso seja um quadro mais grave, pode acabar acarretando outros tipos de infecções espalhadas pelo corpo caso não haja o tratamento de forma adequada.

Ao notar os primeiros sinais da infecção e surgimento do abscesso, faça as compressas quentes e, caso não haja melhora em alguns dias e o inchaço, vermelhidão e outros sintomas continuem a aumentar, procure atendimento médico.

Essas informações foram úteis para você? Lembre-se de compartilhar com alguém que possa estar passando pelo mesmo problema e deixe seu comentário dividindo com a gente suas experiências sobre o assunto.