Acidose entenda o que é, sintomas e tratamentos

Acidose: entenda o que é, sintomas e tratamentos

Quando se trata da nossa saúde, muitas vezes acabamos ignorando a influência que a composição do nosso sangue pode ter para o bem-estar. Tanto o estilo de vida quanto os hábitos alimentares podem levar ao desequilíbrio no pH sanguíneo: a acidose.

Você já ouviu falar sobre isso? Essa doença é pouco conhecida pela maioria das pessoas, e pode sim ser a causa de problemas de saúde quando não levada à sério. Então, pensando nisso resolvemos trazer uma série de informações sobre a acidose para lhe ajudar. Vamos lá?

O que é a acidose?

Como o próprio nome já indica, a acidose se refere a um excesso de ácido no organismo. A acidose irá ocorrer quando o pH do sangue for diagnosticado estar abaixo de 7,35.

E nesse caso, essa acidez que se concentra no sangue da pessoa pode ser originada por várias fontes.

Pois a depender da origem do desequilíbrio de acidez no sangue, e de que órgãos estão prejudicados por isso, a acidose pode ser classificada de diferentes formas em:

  • Metabólica;
  • Respiratória;
  • Cetoacidose diabética;
  • Láctica;
  • Tubular renal;
  • Hiperclorêmica;

Vamos entender melhor cada uma a seguir. Confira!

Acidose metabólica

Esse tipo é aquele causado pelo metabolismo de substâncias no sangue. Ou seja, a acidez no sangue pode ser aumentada através do consumo de alimentos que contém substâncias ácidas ou que podem produzir muito ácido quando organismo as metaboliza.

Portanto, ocorre um desequilíbrio no pH sanguíneo que pode ter várias causas no organismo. E para que isso ocorra, o pH sanguíneo tem que estar abaixo de 7 dentro da escala, que vai de 0 a 14.

Pois o pH sanguíneo normal fica geralmente entre 7,35 e 7,45, levemente alcalino. Mas quando isso se altera e o sangue fica ácido, ele pode sobrecarregar o organismo que passa a tentar eliminar essa acidez.

Assim, a acidose metabólica se instala quando os rins não conseguem eliminar esse excesso de acidez do sangue como deveriam. Ou também, quando os rins eliminam muita substância básica, contribuindo ainda mais para a acidez do sangue.

Sintomas de acidose e alcalose

Como dissemos, quando o pH do sangue está acima do normal, o organismo está em uma situação de alcalose, também conhecida como alcalose metabólica.

E quando o contrário ocorre, e o pH do sangue está abaixo do normal, o organismo se encontra em uma situação de acidose, também conhecida como acidose metabólica.

Então, entenda os sintomas específicos para diferencias cada tipo de situação relacionada ao pH do seu sangue:

Alcalose (pH acima do normal)

Assim como a acidose, a alcalose excessiva não é uma condição ideal para seu organismo. E pode estar associada a outras doenças e sintomas, como:

  • espamos musculares;
  • fraqueza;
  • dores de cabeça;
  • confusão mental;
  • tontura;
  • convulsões.

E todos esses sintomas são causados por alterações em eletrólitos como potássio, cálcio e sódio.

Acidose (pH abaixo do normal)

Já a acidose, que também pode surgir em decorrência de outras doenças associadas, também causa uma série de sintomas em nosso organismo, que está desequilibrado. Alguns sintomas são:

  • sonolência;
  • desorientação;
  • vômitos;
  • desorientação;
  • em casos graves e sem tratamento, há risco de morte.

O que acontece na acidose metabólica?

Quando ocorre a acidose do tipo metabólica, a acidez se eleva no sangue por conta de problemas no metabolismo da pessoa. E certas doenças podem agravar o quadro, como:

  • Doenças nos rins;
  • Infecções em larga escala;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Cetoacidose diabética;
  • Diarreia muito intensa;
  • Sangramentos intensos;
  • Lesão de muitos músculos ao mesmo tempo;
  • Leptospirose;
  • Intoxicação por álcool.

E é a acidose metabólica que se divide em outras formas de acidose de acordo com qual doença pode ter sido a influenciadora. Então, a acidose é uma doença que pode ser muito grave e levar o paciente a entrar em coma com risco de morte.

Acidose diabética

Esse tipo de acidose metabólica ocorre quando o pH ácido do sangue prejudica a pessoa diabética pelo acúmulo de cetonas no corpo. E isso é perigoso pois a pessoa diabética já tem altos níveis de cetona no sangue, por conta da falta de insulina.

Assim, com altos níveis de cetona no sangue, a acidose pode ser tóxica para o organismo, e desencadear uma reação com os sintomas descritos anteriormente.

Acidose lática

Já esse tipo de acidose ocorre quando há falta de oxigenação no sangue. Pois essa falta de oxigênio faz com que o organismo produza ácido lático, aumentando por consequência a acidez sanguínea.

E algumas condições que podem causar a acidose lática são:

  • Hipertensão;
  • Gota;
  • Infecções generalizadas;
  • Insuficiência cardíaca.

Acidose tubular renal

Quando a pessoa já possui algum tipo de insuficiência renal, os rins não filtram as toxinas do sangue de maneira correta. E esse acúmulo excessivo de toxinas que não foram filtradas pode tornar o sangue ácido.

Assim, a pessoa desenvolve o quadro de acidose metabólica do tipo tubular renal. Portanto, quem já possui deficiências genéticas e no sistema imunológico, estará mais propenso à acidose.

Acidose hiperclorêmica

Esse tipo de acidose ocorre por conta de baixos níveis de bicarbonato no sangue. Pois essa é a substância básica que neutraliza a acidez sanguínea. Então, a falta de bicarbonato causa a acidez metabólica.

Acidose respiratória

Esse tipo de acidose ocorre quando os pulmões ficam responsáveis por controlar a acidez no organismo. E a sobrecarga dos pulmões ainda pode piorar o quadro de acidose, já que a dificuldade respiratória e a má oxigenação sanguínea contribuem para deixar o sangue ainda mais ácido.

O que a acidez no sangue causa?

O excesso de ácido no sangue pode causar uma série de riscos para a nossa saúde. E pode até ser que em um primeiro momento a pessoa não apresente sintomas, apenas uma leve disfunção respiratória.

Mas o quadro pode se agravar e causar muito cansaço e fraqueza. E se não for corretamente diagnosticado e tratado, o excesso de ácido pode inclusive levar alguém a entrar em coma, com risco de morte.

Portanto, fique sempre atento aos sintomas de uma possível acidose. E caso sinta mais de um dos sintomas abaixo, consulte seu médico para que você tenha um diagnóstico completo e para a segurança de sua saúde.

Os sintomas no caso de acidose metabólica incluem:

  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Hálito frutado;
  • Confusão mental;
  • Icterícia;
  • Dores de cabeça;
  • Cansaço em excesso;
  • Respiração rápida e profunda fora do normal.

E caso não seja corretamente diagnosticada e tratada, a acidose pode desencadear algumas possíveis complicações. Pois como os órgãos de limpeza do sangue – rins e pulmões – estão em sobrecarga e não dão conta de diminuir a acidez, o corpo passa a usar o cálcio dos ossos para ajudar na neutralização do sangue.

E essa perda de cálcio ósseo pode causar sequelas como a osteoporose, por exemplo. Além disso, os rins e pulmões podem ficar com sequelas, piorando problemas renais e respiratórios pré-existentes.

A acidose, portanto, causa um ciclo contínuo de piora e desenvolvimento de doenças e sequelas. E deve ser tratada da melhor forma o quanto antes, com ajuda de um médico especializado.

O que pode alterar o pH do sangue?

Quando o pH sanguíneo sofre alterações ele pode perder a sua composição equilibrada, e afetar todo o organismo no geral. E existem muitas causas para uma possível alteração do pH do sangue.

Por exemplo:

  • diabetes descontrolada;
  • hiperaldosteronismo;
  • desnutrição, em que o organismo consome as proteínas do próprio corpo;
  • excesso de uso do ácido acetilsalicílico (aspirina);
  • dificuldades respiratórias graves, que diminuem a oxigenação do sangue;

Mas em uma situação de saúde e imunidade normais, o organismo vai sempre tentar corrigir o desequilíbrio sozinho. E caso a pessoa esteja saudável, a acidose será equilibrada sozinha através de mecanismos de compensação do pH.

Porém nem sempre os mecanismos de equilíbrio do organismo vão dar conta de restabelecer um sangue neutro.

E em casos mais graves, quando existem doenças e o sistema imunológico está mais comprometido, o quadro de acidose pode se tornar grave.

Portanto, em casos graves e com muitos sintomas, o sangue fica muito ácido e não se equilibra. Então, será preciso procurar ajuda médica e inclusive a pessoa pode acabar sendo internada no hospital.

Assim, para que entenda melhor o que ocorre em um organismo com o pH sanguíneo em desequilíbrio, e com uma possível acidose grave, continue lendo.

Pois reunimos os principais sintomas e o que acontece em seu organismo durante a acidose. Confira a seguir:

O que acontece quando o sangue está muito ácido?

Você sabia que o pH é a medida utilizada para saber a escala de acidez? E ele vai de 0 a 14. Quando o pH de nosso sangue está saudável, fica entre 7,35 a 7,45 nessa escala. Mas quando está muito ácido, fica abaixo de 7 na escala.

E quando isso ocorre, o sangue muito ácido pode comprometer algumas funções do organismo e causar colapso no equilíbrio de nosso corpo. Pois o excesso de acidez acaba sobrecarregando alguns órgãos, como rins e pulmões, e causando outras reações em cadeia.

Mas em um corpo saudável, o organismo resolverá facilmente os leves desequilíbrios de pH. Em geral, os rins e os pulmões serão os responsáveis por filtrar as toxinas e reajustar a composição sanguínea.

Porém, em pessoas com a imunidade já mais frágil ou outras doenças pré-existentes – como diabetes e hipertensão – há um risco do excesso de acidez no sangue criar um ciclo de piora na saúde. Ou seja, a doença agrava a acidose, e a acidose agrava a doença.

Portanto, sintomas como dores de cabeça, excesso de fadiga, dificuldades respiratórias e perda de apetite devem ser observados com cuidado em pessoas com essas condições de saúde. Pois a acidose nesses casos pode se desenvolver para um quadro grave.

Então, se você se encaixa nesse perfil, fique atento aos sintomas e procure um serviço de saúde e um médico caso sejam muitos e persistentes. Pois o excesso de acidez no sangue pode começar despercebido, e causar graves consequências à sua saúde, como:

Distúrbios hormonais

A acidose pode causar alterações em sua produção hormonal. E a principal característica é a resistência insulínica, diabetes e cetoacidose diabética, além de problemas no hormônio do crescimento em crianças e adolescentes.

Atrofia muscular

Quando o sangue está muito ácido, o corpo sintetiza em menor quantidade uma substância chamada albumina. E essa substância é a responsável pelo crescimento e manutenção dos músculos.

Portanto, a acidose por de causa uma atrofia e perda de massa muscular quando não diagnosticada e tratada corretamente.

Outros efeitos da acidose no corpo

O sangue muito ácido também pode trazer outros efeitos para sua saúde, como inchaços, dores e vermelhidão. Também pode ser prejudicial para o cérebro e para suas articulações, e inclusive causar complicações de saúde que levam à morte.

Como diagnosticar a acidose?

Um diagnóstico correto de acidose é o que faz a diferença em um bom tratamento com eficácia. Portanto, existe uma série de exames que podem lhe ajudar a saber se está desenvolvendo um quadro de acidose, e de que tipo ela é.

Portanto, confira a seguir a lista de exames que podem auxiliar no diagnóstico de excesso de acidez no sangue:

Teste de gasometria venosa ou arterial

Nesse exame, ocorre a análise dos níveis de gases no sangue que influenciam no nível do pH. Pois mede os níveis sanguíneos de oxigênio, dióxido de carbono, entre outros.

E quando há pouco oxigênio no sangue e muito dióxido de carbono, isso significa a possibilidade de uma acidose respiratória. Já que a falta de oxigenação no sangue acaba deixando o pH mais ácido, alertando para uma possível falha nos pulmões.

Painel metabólico

Este exame irá medir o equilíbrio do pH sanguíneo e o funcionamento dos rins. Também irá conferir toda a composição sanguínea, a partir dos níveis de:

  • Proteínas;
  • Cálcio;
  • Eletrólitos;
  • Açúcar no sangue.

Pois a perda excessiva de cálcio indica que o organismo está precisando retirar cálcio dos ossos e jogar no sangue, para equilibrar a acidez. Já o nível de açúcar no sangue indica a possibilidade de uma cetoacidose diabética, por conta dos níveis de metabolização da insulina.

Exame de urina

Também é possível detectar a acidose através da análise da acidez na urina. Pois os rins são os responsáveis por filtrar o sangue e eliminar as toxinas através da urina. Portanto, rins em sobrecarga com a acidez irão eliminar urina mais ácida, indicando a presença de uma acidose no organismo.

Portanto, em casos de suspeita de acidose, procure se consultar com um médico para que ele peça os exames necessários para o correto diagnóstico. E em casos mais graves, com muitos sintomas em pacientes que tenham imunidade baixa ou outras doenças, procure o atendimento médico emergencial.

O que é bom para tirar a acidez do sangue?

Cada caso é um caso diferente. Ou seja, o ideal é que você faça exames para diagnosticar qual a sua condição e qual o tipo de acidose em seu corpo.

Portanto, o mais correto é procurar um médico e realizar os exames para que ele indique um tratamento específico para controlar a sua acidose.

Porém, existem algumas indicações para prevenir a acidose, e também para já começar a tratar a acidez no sangue antes de ter resultados de exames.

Como prevenir a acidose?

Existem algumas formas de prevenir a acidose, que são ótimas indicações para quando você já tem doenças pré-existentes ou imunidade baixa.

E se esse for o seu caso, confira a seguir algumas atitudes que podem lhe ajudar a prevenir o excesso de acidez no sangue:

  • Beba bastante água, pois manter o corpo bem hidratado ajuda a filtrar as toxinas no sangue e diminuir os riscos da acidose;
  • E também procure controlar os níveis de açúcar no seu sangue e de produção de insulina, principalmente se já tiver diabetes. Assim, evitará complicações como a cetoacidose diabética;
  • Também controlar sua dieta, com menos alimentos processados e cheios de carboidratos e açúcar. Pois assim previne um possível quadro de acidose e melhora sua saúde de maneira geral;
  • Além disso, não abuse das bebidas alcóolicas. Pois o álcool atua como uma toxina no sangue, e contribui para o acúmulo de ácido lático. E o resultado é o desequilíbrio no pH sanguíneo e uma possibilidade maior de acidose.

Dieta alcalina

Um dos tratamentos que as pessoas mais conhecem para o excesso de acidez no sangue é através da dieta alcalina. Ou seja, uma forma de se alimentar que diminua a sua acidez no sangue através da alimentação alcalina.

E muitas pessoas, inclusive artistas e famosos, já são adeptos da dieta alcalina, para melhorar a saúde e evitar a acidose. Além disso, existem muitos livros que tratam do assunto da dieta e contém dicas e receitas.

Assim, muitos afirmam que a dieta alcalina irá ajudar a equilibrar a acidez do seu corpo, e pode ainda facilitar o emagrecimento através do consumo de alimentos não ácidos.

De forma geral, a dieta recomenda o consumo de alimentos como:

  • folhosas verde-escuras (couve, brócolis, rúcula, etc);
  • temperos naturais;
  • legumes em geral.

Assim, a dieta alcalina chegou a ter o apelido de “dieta das estrelas”, por sem muito popular entre celebridades famosas.

Benefícios da dieta alcalina

O primeiro e maior benefício da dieta serias restabelecer o equilíbrio do pH em seu organismo. Ou seja, tratar a acidose e prevenir o aparecimento da doença novamente.

Mas essa melhoria do equilíbrio no organismo também traria benefícios como a melhor absorção de nutrientes e o emagrecimento.

Pois a ingestão de alimentos que não são ácidos não engordaria tanto quanto a dieta rica em alimentos ácidos. Além disso, a dieta previniria outras doenças por conta da ingestão de alimentos fitoquímicos e antioxidantes.

Melhoria nos hábitos alimentares

Além de equilibrar o pH sanguíneo, e consequentemente a acidose, a dieta alcalina pode te ajudar a equilibrar seus hábitos alimentares como um todo. Já que a divisão entre os tipos de alimentos faz com que você siga um ideal de:

  • 70% de alimentos alcalinos (não ácidos);
  • 30% de alimentos ácidos.

Dessa forma, ocorre uma desintoxicação geral do organismo. Além disso, ela pode ser uma dieta essencialmente vegetariana, ou adicionar carnes brancas, levemente ácidas, como fonte de proteínas essenciais ao corpo.

Corra dos alimentos ácidos!

A dieta industrializada de hoje em dia não ajuda muito na manutenção de um equilíbrio do pH de nosso corpo. Dessa forma, a acidose pode estar à espreita de quem tem pré-disposição e uma dieta muito desregrada.

Pois os produtos industrializados passam por vários processos químicos e acabam se comportamento em nosso organismo como ácidos. Portanto, quem consome em exagero:

  • Bebidas alcoólicas;
  • Carnes vermelhas;
  • Açúcar refinado;
  • Café;
  • Frituras.

São alimentos muito presentes em nossa dieta e que contribui para reduzir o pH do sangue, potencializando o aparecimento de um quadro de acidose.

Portanto, o ideal é escolher opções que são apenas levemente ácidas, como:

  • Carnes brancas;
  • Cerais integrais, como o arroz integral;
  • Ovos;
  • Legumes e folhosas verde-escuras, como couve-flor, espinafre, brócolis, repolho, agrião, etc.

Tomar água com gotas de limão

Outro hábito de quem é adepto da dieta alcalina é tomar em jejum um copo de água com algumas gotas de limão, para regular o pH do organismo.

E ao contrário do que a sabedoria popular e o gosto nos dizem, o limão é uma substância que se torna básico em nosso organismo. E é excelente para reduzir o pH sanguíneo.

Assim, tomar água com gostas de limão pode ser uma ótima forma de prevenção da acidose. Além disso, começando o dia já com um pH mais alcalino, o corpo estará preparado para absorver melhor os nutrientes da sua alimentação.

Mantenha-se ativo

Além de todas as mudanças que é possível fazer na dieta e nos hábitos alimentares para reduzir o risco de uma acidose sanguínea, também é muito importante manter-se sempre uma pessoa ativa.

Pois a atividade física complementa os benefícios de uma mudança de hábitos alimentares e da dieta alcalina, por exemplo.

Assim, o corpo libera mais enzimas, hormônios reguladores do organismo e melhora a absorção pelo sangue dos nutrientes dos alimentos.

Também durante a realização da atividade física, o corpo vai aumentar a sua circulação sanguínea, o que vai intensificar ainda mais a absorção de nutrientes pelo organismo.

Portanto, evite a má alimentação, o estresse em exagero e a falta de exercícios físicos, pois o pH mais ácido além de desregular várias funções do organismo, também facilita o ganho de peso.

Pois a acidose é responsável por desregular o metabolismo de forma geral, o que afeta a forma como uma pessoa gasta calorias e emagrece ou engorda.

Concluindo

Portanto, um tratamento precoce através da mudança de hábito será sempre uma excelente opção.

E não apenas para quem é do grupo de risco ao desenvolver acidose, mas para todos que queiram um estilo de vida mais saudável e um organismo bem equilibrado.

E sabemos que a dieta que temos atualmente não contribui para regular o pH do sangue, ou seja, pode causar mais facilmente a acidose sanguínea.

Assim, o que se recomenda é que cerca de 70% da sua dieta seja composta por tipos de alimentos que sejam alcalinos, e 30% apenas por alimentos do tipo ácido.

Portanto, chegamos ao fim de nosso artigo com todas as informações e dicas sobre a acidose sanguínea. Então, esperamos que esteja mais fácil de entender e identificar sintomas, causas e formas de prevenção e tratamento.

E deixe seu comentário, vamos adorar saber o que achou!